Show simple item record

dc.contributor.authorAlves, Alberto Donizete
dc.coverage.spatialUniversidade de Ribeirão Preto - UNAERPpt_BR
dc.date.accessioned2021-04-05T13:32:20Z
dc.date.available2021-04-05T13:32:20Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unaerp.br//handle/12345/277
dc.description.abstractO pinhão manso Jatropha curcas L. é um arbusto caducifólio pertencente à família Euphorbiaceae. Seu interesse econômico, social e ambiental se dá devido suas sementes apresentarem alto teor de óleo com elevado potencial para a produção de biodiesel. Isto atende a um mercado mundial em potencial ascensão, motivado pela necessidade de se reduzir as dependências do combustível fóssil. Diversas pragas e doenças podem afetar a sua produção, principalmente quando plantada como monocultura extensiva. Dentre essas, destaca-se o percevejo Pachycoris torridus, o qual danifica os frutos e as sementes, reduzindo a produção e qualidade do óleo. No Brasil, este inseto já foi constatado em várias regiões e aliado ao seu hábito alimentar polífago, poderá comprometer outras culturas no futuro além daquelas de pinhão manso. Apesar de seu impacto, existem poucas informações acerca de sua biologia e controle químico. Dessa forma objetivou-se, com este trabalho, estudar comparativamente a biologia deste percevejo alimentado com dieta natural (DN) e dieta artificial seca (DAS). Os insetos alimentados com DAS seca apresentaram redução no número de ovos por postura; maior período de incubação dos ovos; maior período ninfal; maior longevidade de adultos do que aqueles alimentados com DN, caracterizando a necessidade de ajustes na DAS para estabelecer uma melhor criação massal em laboratório. Este desiderato é importante no fornecimento contínuo de indivíduos para diferentes tipos de estudos. Apesar da necessidade de ajustes para melhor otimização, a DAS foi eficiente para a criação deste inseto em laboratório. Neste trabalho, buscou-se também, avaliar a eficiência de inseticidas sintéticos no controle de ninfas e adultos de P. torridus, já empregados no controle de percevejos equivalentes como os da soja e algodão e com diferentes mecanismos de ação. Os ensaios de controle químico foram realizados utilizando-se mudas de pinhão manso cultivadas em vasos de polietileno sob condições similares as de campo, em delineamento inteiramente ao acaso, empregando-se 10 tratamentos e 4 repetições. Aos 1; 2; 4 e 8 dias após tratamento (DAT), foi avaliado o número de insetos vivos por parcela. O inseticida Imidacloprid 480 SC foi eficiente no controle de ninfas, Deltametrina 25 CE apresentou eficiência a partir de 4 DAT e Clorpirifós 480 CE foi ineficiente no controle ninfas. Os inseticidas Imidacloprid 480 SC, Acetamiprid + Alfacipermetrina foram os tratamentos mais eficientes no controle de adultos. Os agrotóxicos Tiametoxam + Lambdacialotrina, Imidacloprid + Betaciflutrina apresentaram eficiência intermediária, enquanto Chlorantraniliprole + Abamectin; Abamectin 18 CE; Bifentrina 100 CE; Clorpirifós 480 CE; Endossulfan 350 CE foram ineficientes no controle de adultos de P. torridus. Assim, os resultados mostram que a eficiência de controle varia enormemente conforme a classe/mecanismo de ação dos diferentes inseticidas, o que é de relevância considerando a carência técnica de informações sobre o controle de P. torridus, uma praga importante.pt_BR
dc.format.extent61 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectPragas agrícolaspt_BR
dc.subjectQuímica toxicológicapt_BR
dc.subjectInseticidaspt_BR
dc.titleAspectos da biologia e controle químico do percevejo (Pachycoris torridus) (Scopoli,1772) (Hemiptera: Scutelleridae) da cultura do pinhão manso Jatropha curcas Lpt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.contributor.advisorBeleboni, René de Oliveira


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantenedor
UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons