Show simple item record

dc.contributor.authorSantos, Natalia Raminelli dospt_BR
dc.date.accessioned2021-02-14T00:24:50Z
dc.date.available2021-02-14T00:24:50Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unaerp.br//handle/12345/192
dc.description.abstractA violência contra a mulher é, geralmente, um problema que se expressa em nível privado, principalmente a violência familiar.Com base nos princípios garantidos pela Constituição Federal Brasileira, movimentos sociais entre outros as políticas sociais brasileiras para este segmento estão diretamente relacionadas às condições vivenciadas pelo País em nível econômico, político e social, sendo que nem estas nem os conselhos, assessorias e coordenadorias ligadas ao governo garantem a segurança da mulher. Utilizando-se de abordagem quanti/qualitativa, a presente pesquisa social estratégica objetivou verificar a ocorrência de eventos violentos nas relações afetivas de mulheres universitárias, diante o fato de estudar, e qual a interpretação dada. Constituíram-se participantes do estudo dez mulheres universitárias de uma instituição educacional do Estado de São Paulo. Para a coleta de dados utilizou-se a análise documental e a entrevista semi estruturada, mediante gravação de falas. A análise de conteúdo pautada em Bardin(2016) foi o instrumento utilizado para verificação dos dados qualitativos e estatística para os quantitativos. Resultados caracterizam o perfil sócio demográfico da universitária como mãe, casada,e beneficiária de políticas de inclusão educacional, sendo que o baixo nível sócio econômico posta-se como motivo do ingresso tardio no contexto universitário . Da análise das entrevistas e seus eixos à luz dos conteúdos verifica-se a ocorrência de eventos violentos à mulher universitária sob viés psicológico. Emergiram seis categorias empíricas ,quanto a percepção de si como universitária “Sonho realizado ,vendo a vida de outra forma”. Quanto a dificuldade para o ingresso no nível superior –“Dificuldade financeira” ;”Dificuldade para conciliar casa, família, trabalho e estudos”. O que é violência e se foi vítima por querer estudar –“É difícil falta de respeito; agressão emocional, sentimento de impotência”, e no Significado de estudar. “O estudo é a raiz de uma vida, abre várias portas” “Conhecimento é tudo , não deixa você ser passado para traz” .Conclui-se que apesar de estarmos no século XXI e haver significativa presença feminina no âmbito acadêmico, o conteúdo atribuído à violência pelas mulheres universitárias deste estudo aponta que a violência se expressa em nível privado ocorrendo em uma sequência de outras interações que também são violentas. A ideia de que o lar e a família são de esfera estritamente feminina perdura por milênios a desigualdade, e veta o processo de mudança de atitudes. O presente estudo expõe a importância de incentivar mulheres jovens e adultas a ingressarem no ensino superior. Destaca-se ainda a relevância da aquisição do diploma às mulheres que se depararam com dificultadores e ingressaram tardiamente na universidade. O estudo propiciou a criação de um protocolo de incentivos e divulgação sobre a questão.
dc.relation.ispartofMestrado em Saúde e Educaçãopt_BR
dc.titleViolência física e psicológica nas relações afetivas de mulheres universitárias de um município do Estado de São Paulopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorRoque, Eliana Mendes de Souza T.pt_BR
dc.identifier.codacervo149643pt_BR
dc.identifier.filename000007f0.pdfpt_BR
dc.identifier.linkpergamumhttp://pergamum.unaerp.br:8080/pergamumweb/vinculos/000007/000007f0.pdfpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantenedor
UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons